domingo, 31 de maio de 2015

PARTO ATIVO E COMBATE À VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA NO SOLAR DA BEIRA

Hoje, às 16h, na Ocupação do Solar da Beira, no Ver-O-Peso, vai ter aula pública sobre parto ativo e combate à violência obstétrica, com a Rede Parto do Princípio, Ishtar e Coletivo vozes de Ana. Além do bate-papo informativo, teremos as exposições de fotos 1:4, da Carla Raiter, e O Parto é Nosso!, com fotos de nascimentos respeitosos na cidade de Belém; e pintura de barrigas! Para quem não sabe o que é o solar da beira, em anexo foto do prédio. Para quem ainda não ouviu falar da ocupação Solar da Beira, acesse aqui a página do movimento no facebook.

1:4 - “Uma em cada quatro mulheres brasileiras que deram a luz em hospitais públicos ou privados relatam algum tipo de agressão durante o parto”. É o que aponta a pesquisa Mulheres Brasileiras nos Espaços Público e Privado, feita pela Fundação Perseu Abramo em parceria com o SESC, em 2011.  


1:4 é um projeto fotográfico que busca materializar as marcas invisíveis deixadas por esse tipo de violência e traz à luz uma reflexão sobre a condição do nascimento no Brasil e as intervenções desnecessárias que ocorrem no momento do parto. A violência obstétrica pode se manifestar no impedimento de ter um acompanhante no parto, na falta de liberdade para escolher onde e como parir, na privação de água e alimentação, na falta de um carinho no momento da dor, no protagonismo que não foi permitido. Muitas mulheres sofrem caladas essas e outras violências vividas no corpo e na alma em um momento de suas vidas em que deveriam se sentir plenas, respeitadas e renascendo junto a seus filhos. Mulheres rompem o silêncio e têm suas histórias retratadas em partes de seus corpos, em uma linguagem que as trata de forma serializada, anônima e sem considerar sua individualidade, assim como fazem os protocolos médicos nas maternidades públicas e privadas brasileiras. 

O Parto é Nosso! - A exposição traz fotos de mulheres paraenses no momento do nascimento de seus filhos. Essas mulheres tiveram seus desejos de parto e nascimento respeitados, transmitindo assim, imagens positivas do parto, na intenção de mostrar que quando a mulher tem a possibilidade de escolher o local de parto, seus acompanhantes e a maneira como quer dar à luz, este processo se torna muito mais positivo e transformador.

Participe! 

Nenhum comentário: